19 de set de 2010

PT vai fazer a maior bancada de Deputados Federais!

Lula é PT. Dilma é PT. E você?


Projeções de eleição para Câmara dos Deputados

Por Antônio Augusto de Queiroz*, no DIAP

A duas semanas das eleições gerais surgem os primeiros cenários para a Câmara dos Deputados. Pelo menos quatro projeções com as futuras bancadas já foram divulgadas: 1) do DIAP - Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar, 2) do professor David Fleischer, da UnB, 3) da consultoria Patri, e 4) da consultoria Arko Advice.

As projeções indicam que o PT, o PSDB, o PSB e o PCdoB crescem; o PMDB, o PDT, o PP, o PTB, o PPS e o PV sofrem pequenas oscilações para baixo ou para cima; e perdem o DEM e o PR. Veja quadro comparativo no final da postagem.

As metodologias adotadas são distintas, para cada projeção, tanto na forma quanto no conteúdo.

Quanto à forma, o DIAP e a Arko Advice optaram por um intervalo, com previsão de bancada máxima e mínima, em função das coligações e quociente eleitoral. Já o professor David Fleischer e a Patri resolveram cravar um número para a futura composição da Câmara por partido.

Sobre o conteúdo, o DIAP considerou, basicamente, seis aspectos: 1) desempenho individual do candidato (perfil, vínculos políticos, econômicos e sociais, experiência política anterior e serviços prestados), 2) trajetória e popularidade do partido, com base nas últimas cinco eleições), 3) os recursos disponíveis (financeiros e humanos, como financiadores e militantes), 4) coligações e vinculação a candidatos majoritários (senador, governador e presidente), 5) apoio governamental (máquinas municipais, estaduais e federal), e 6) pesquisas eleitorais.

O professor David Fleischer utilizou um critério inovador e muito interessante. Ele fez suas projeções de bancadas com base no crescimento dos partidos nas eleições municipais.

Para tanto, analisou o desempenho dos partidos nas eleições municipais de 1992, 1996, 2000, 2004 e 2008 e comparou com seus respectivos resultados nas eleições proporcionais dos anos de 1994, 1998, 2002 e 2006 encontrando simetria plena entre os dois pleitos.

As projeções das consultorias políticas Patri e Arko Advice levaram em consideração, além da expertise de seus consultores, as pesquisas eleitorais, as estruturas de campanha dos partidos e dos principais candidatos à Câmara Federal.

O estudo do DIAP, além da previsão nacional dos partidos, também incluiu as bancadas por Estado e os nomes dos candidatos com chance de eleição, que serão divulgados ainda no mês de setembro.

A principal conclusão das projeções, caso se confirmem, é que a atual oposição, no conjunto, perde vagas em relação à situação. Isto significa que, num eventual governo Dilma, a base de apoio será ampliada na Câmara.

Se, eventualmente, o eleito for José Serra, terá uma oposição com poder de veto em relação a propostas de emendas à Constituição, já que excluídos os votos dos partidos de oposição, particularmente os de esquerda e centro-esquerda (PT, PSB, PDT, PCdoB e PSol) não reuniria 308 votos.

(*) Jornalista, analista político, Diretor de Documentação do Diap e autor dos livros "Por dentro do processo decisório - como se fazem as leis" e "Por dentro do Governo - como funciona a máquina pública"

Veja quadro comparativo a seguir.


Clique na figura para ampliar





Comente nossas postagens! Com problemas para comentar? (clique aqui)

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.BlogdoFabioRodrigues.com.br
Contato: FabioRodrigues@FabioRodrigues.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique no link "Postagem(ns) mais antiga(s)" (acima), para continuar lendo nosso blog. E a qualquer momento clique no link "Início" para voltar a página inicial.