31 de out de 2009

O MST real e o MST da Globo!


Por Fábio Rodrigues

Para começarmos essa postagem peço aos leitores uma reflexão de alguns pontos:

- Quem comprova que a pessoa que estava dirigindo aquele trator que destruiu os pés de laranja era um integrante do MST? Você viu na TV "imparcial" quem estava dirigindo? Não poderia ser um integrante da própria fazenda para mais uma vez "criminalizar" o MST?

- Quem comprova que aquelas máquinas, inclusive bem velhas, que foram mostradas pela imprensa "imparcial" foram quebradas por integrantes do MST? Será que não seriam sucatas e aproveitaram o momento para aumentar mais a raiva da classe média com o MST?

Posto isso, vamos as questões reais. A classe média, na qual me incluo também, sofre de uma coisa chamada "corrupção da consciência". Os grandes meios de comunicação nos levam a só ver o que eles defendem. Sendo assim, como eles fazem parte da classe rica, e ampla maioria não gostam de ver o pobre lutando pelos seus direitos, principalmente o direito a terra, ficam com essa "manipulação maquiavélica" contra o MST.

Defendo o MST pois acredito que toda concentração de terra, poder e riqueza deve ser combativa, com o bom combate é claro. Os ricos e poderosos devem ser questionados todos os dias sobre o porquê deles terem muito e muitos pobres terem muito pouco.

Defendo o MST pois eles nas suas principais ações defende a justiça social e isso sem dúvida incomoda a classe rica, que só pensa em exploração da mão-de-obra e concentração de renda, poder, terra e riqueza. Isso é uma luta de classes que precisamos travar.

Não acredito em nada que as TVs passam criticando o MST, principalmente a Globo, vou procurar outras fontes na internet, não necessariamente favoráveis, mas que não sejam apenas destinadas a menosprezar a luta legítima dos pobres contra os ricos.

Por fim, não defendo nenhum tipo de violência, acredito que o bom combate é a melhor forma de sairmos vitoriosos dessa batalha de humildes contra poderosos. Não defendo a violência do MST em alguns ações, de poucos integrantes que não representam a maioria. Também não defendo a violência dos latinfundiários, que venham a utilizar trabalho escravo, trabalho infantil, trabalho forçado, trabalho desumano. E também fica o questionamento: Por que só criminalizar os pobres, só punir os pobres, só condenar os pobres? Será que nossa sociedade que de fato a justiça social?

Espero que tenha sido claro em minhas posições e acredito que o bom debate é isso. Esta postagem eu já estava querendo fazer, mas devido a um comentário da nossa leitora Marimuth na postagem "O blogueiro assina, apoia e pede sua assinatura!" decidimos adiantar.




Postagens relacionadas: "Você acredita em tudo que a Globo e os Parlamentares de Direita dizem? Leia a informação do outro lado e tire suas próprias conclusões.", clique aqui.
"O blogueiro assina, apoia e pede sua assinatura!", clique aqui.


Postado originalmente às 11:30 - 31/10/2009.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Datena chama de mentiroso chefe da Propaganda de Serra (PSDB-SP)



Retirado: Conversa Afiada



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Está na Seção "Blogs / notícias que indico" (V)






Postagem relacionada: "Está na Seção "Blogs / notícias que indico" (IV)", clique aqui.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

O PIG não esperava por essa!

P.I.G. - Partido da Imprensa Golpista



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

O blogueiro assina, apoia e pede sua assinatura!


Manifesto em defesa do MST
(Clique aqui e assine)

Contra a violência do agronegócio e a criminalização das lutas sociais

As grandes redes de televisão repetiram à exaustão, há algumas semanas, imagens da ocupação realizada por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em terras que seriam de propriedade do Sucocítrico Cutrale, no interior de São Paulo. A mídia foi taxativa em classificar a derrubada de alguns pés de laranja como ato de vandalismo.

Uma informação essencial, no entanto, foi omitida: a de que a titularidade das terras da empresa é contestada pelo Incra e pela Justiça. Trata-se de uma grande área chamada Núcleo Monções, que possui cerca de 30 mil hectares. Desses 30 mil hectares, 10 mil são terras públicas reconhecidas oficialmente como devolutas e 15 mil são terras improdutivas. Ao mesmo tempo, não há nenhuma prova de que a suposta destruição de máquinas e equipamentos tenha sido obra dos sem-terra.

Na ótica dos setores dominantes, pés de laranja arrancados em protesto representam uma imagem mais chocante do que as famílias que vivem em acampamentos precários desejando produzir alimentos.

Bloquear a reforma agrária

Há um objetivo preciso nisso tudo: impedir a revisão dos índices de produtividade agrícola – cuja versão em vigor tem como base o censo agropecuário de 1975 – e viabilizar uma CPI sobre o MST. Com tal postura, o foco do debate agrário desloca-se dos responsáveis pela desigualdade e concentração para criminalizar os que lutam pelo direito do povo. A revisão dos índices evidenciaria que, apesar de todo o avanço técnico, boa parte das grandes propriedades não é tão produtiva quanto seus donos alegam e estaria, assim, disponível para a reforma agrária.

Para mascarar tal fato, está em curso um grande operativo político das classes dominantes objetivando golpear o principal movimento social brasileiro, o MST. Deste modo, prepara-se o terreno para mais uma ofensiva contra os direitos sociais da maioria da população brasileira.

O pesado operativo midiático-empresarial visa isolar e criminalizar o movimento social e enfraquecer suas bases de apoio. Sem resistências, as corporações agrícolas tentam bloquear, ainda mais severamente, a reforma agrária e impor um modelo agroexportador predatório em termos sociais e ambientais como única alternativa para a agropecuária brasileira.

Concentração fundiária

A concentração fundiária no Brasil aumentou nos últimos dez anos, conforme o Censo Agrário do IBGE. A área ocupada pelos estabelecimentos rurais maiores do que mil hectares concentra mais de 43% do espaço total, enquanto as propriedades com menos de 10 hectares ocupam menos de 2,7%. As pequenas propriedades estão definhando enquanto crescem as fronteiras agrícolas do agronegócio.

Conforme a Comissão Pastoral da Terra (CPT, 2009) os conflitos agrários do primeiro semestre deste ano seguem marcando uma situação de extrema violência contra os trabalhadores rurais. Entre janeiro e julho de 2009 foram registrados 366 conflitos, que afetaram diretamente 193.174 pessoas, ocorrendo um assassinato a cada 30 conflitos no primeiro semestre de 2009. Ao todo, foram 12 assassinatos, 44 tentativas de homicídio, 22 ameaças de morte e 6 pessoas torturadas no primeiro semestre deste ano.

Não violência

A estratégia de luta do MST sempre se caracterizou pela não violência, ainda que em um ambiente de extrema agressividade por parte dos agentes do Estado e das milícias e jagunços a serviço das corporações e do latifúndio. As ocupações objetivam pressionar os governos a realizar a reforma agrária.

É preciso uma agricultura socialmente justa, ecológica, capaz de assegurar a soberania alimentar e baseada na livre cooperação de pequenos agricultores. Isso só será conquistado com movimentos sociais fortes, apoiados pela maioria da população brasileira.

Contra a criminalização das lutas sociais

Convocamos todos os movimentos e setores comprometidos com as lutas a se engajarem em um amplo movimento contra a criminalização das lutas sociais, realizando atos e manifestações políticas que demarquem o repúdio à criminalização do MST e de todas as lutas no Brasil.


Ana Clara Ribeiro
Ana Esther Ceceña
Boaventura de Sousa Santos
Carlos Nelson Coutinho
Carlos Walter Porto-Gonçalves
Claudia Santiago
Claudia Korol
Ciro Correia
Chico Alencar
Chico de Oliveira
Daniel Bensaïd
Demian Bezerra de Melo
Fernando Vieira Velloso
Eduardo Galeano
Eleuterio Prado
Emir Sader
Gaudêncio Frigotto
Gilberto Maringoni
Gilcilene Barão
Heloisa Fernandes
Isabel Monal
István Mészáros
Ivana Jinkings
José Paulo Netto
Lucia Maria Wanderley Neves
Luis Acosta
Marcelo Badaró Mattos
Marcelo Freixo
Maria Orlanda Pinassi
Marilda Iamamoto
Maurício Vieira Martins
Mauro Luis Iasi
Michael Lowy
Otilia Fiori Arantes
Paulo Arantes
Paulo Nakatani
Plínio de Arruda Sampaio
Reinaldo A. Carcanholo
Ricardo Antunes
Ricardo Gilberto Lyrio Teixeira
Roberto Leher
Sara Granemann
Sergio Romagnolo
Virgínia Fontes
Vito Giannotti

E demais, clique aqui.

Fonte: Petition Online.com


Manifesto em defesa do MST
(Clique aqui e assine)


Matéria relacionada: "Intelectuais criticam criminalização do MST pela mídia", clique aqui.

Postagens relacionadas: "Ibope sob encomenda",
clique aqui.
"Frente quer CPI para investigar ruralistas",
clique aqui.
"ONU destaca “estratégia orquestrada” para tirar credibilidade do MST",
clique aqui.
"Denúncia - Incra: fazenda de laranja ocupada pelo MST pertence à União",
clique aqui.

Postado originalmente às 16:13 - 23/10/2009.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

“Esqueçam a pauta do editor e façam a pauta de suas vidas” - Presidente Lula



O presidente Lula mandou um recado direto aos jornalistas que o acompanhavam nesta quinta-feira (29/10), em São Paulo, na inauguração da Expocatadores, que reúne mais de seis mil trabalhadores do Brasil e da América Latina. O presidente sugeriu que os profissionais deixassem de lado a pauta enviada pelos editores e entrevistassem os catadores que participam da exposição. “Pode escolher qualquer um. Será a grande matéria da vida de vocês”, afirmou.

"E aí, vocês vão compreender porque que a figura do chamado formador de opinião pública, que antes decidia as coisas neste País, já não decide mais, porque esse povo já não quer mais intermediário. Esse povo tem pensamento próprio, esse povo anda com suas próprias pernas, trabalha pelos seus braços, enxerga pelos seus olhos e falam pela sua boca" - Presidente Lula.

Fonte: Blog do Planalto



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

30 de out de 2009

João Pessoa: Acervo da Biblioteca municipal será acessado pela Internet


A Biblioteca Municipal, que irá funcionar no antigo do prédio do "Conventinho", no Centro Histórico da Capital, vai oferecer um diferencial: ela estará interligada às escolas municipais pela Internet. Isto vai proporcionar que os estudantes tenham acesso ao acervo virtual da biblioteca sem precisar se deslocar até o local. O equipamento faz parte do projeto de restauração do prédio, onde também funcionará o Centro de Ensino das Artes. As obras foram anunciadas pelo prefeito Ricardo Coutinho (PSB), dentro do Plano de Ações Integradas (PAI).

Segundo a secretária de Educação, Ariane Sá, a biblioteca é um grande presente para João Pessoa, pois em 424 anos de fundação a cidade não tinha um espaço municipal para essa finalidade. "Os alunos do município vão ter acesso ao prédio, mas também vão poder fazer consultas pela internet, pois as escolas, nos laboratório de informática, vão estar interligadas a Biblioteca para consultas virtuais ao acervo", revelou Ariane Sá.

Já o Centro de Ensino das Artes, a secretária disse que o local era um antiga reivindicação dos arte-educadores e vai disponibilizar aulas de música, artes cênicas, entre outras modalidades. "Vai ser um local onde as crianças com talento terão formação diferenciada", disse.

De acordo com Inês Caminha, coordenadora do GP biblioteca, grupo responsável pela implantação da Biblioteca Municipal, a Prefeitura de João Pessoa (PMJP) já realizou uma parceria com o Ministério da Cultura para a implantação do projeto "Livro Aberto", que modernizará o serviço. "Já começamos a receber kits (computadores, impressora e periféricos), através de convênio com os Ministérios da Comunicação e Ciência e Tecnologia, além de kit de mobiliário", disse. Atualmente, os trabalhos para a instalação da Biblioteca estão concentrados na elaboração do regimento, organograma e quadro de funcionários.

Obra – A recuperação e restauração do convento franciscano São Frei Pedro Gonçalves, conhecido como 'Conventinho', segundo o secretário de Infraestrurura (Seinfra), João Azevedo, "segue em ritmo normal e a previsão de conclusão é dezembro". O projeto prevê a recuperação de uma área total construída de 3.883 metros quadrados, mais projetos de iluminação, paisagismo e colocação de bancos em concreto na área externa. Todo o processo de recuperação do 'Conventinho' é desenvolvido dentro dos princípios de acessibilidade.

Fonte: PMJP



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

“Estamos colocando PE no cenário global de petróleo e gás”

Eduardo Campos (PSB-PE)

Com o intuito de otimizar as oportunidades da cadeia de petróleo, gás e naval, o governador Eduardo Campos assinou dois decretos na tarde desta quarta-feira (28/10), durante o seminário Pernambuco Business 2009, voltado para empresários do setor. O primeiro institui o Fórum Suape Global de Pernambuco, enquanto o outro altera o Estatuto Social e a estrutura organizacional do porto pernambucano.

Com os decretos, o projeto Suape Global – lançado pelo Governo do Estado ainda em 2007 no intuito de atrair empresas ligadas à exploração de petróleo, gás e fabricação de navios para Pernambuco – passa a contar com uma diretoria exclusiva. O ex-coordenador executivo de implantação de negócios do Porto de Suape, Sílvio Leimig, será o diretor-presidente. “As mudanças visam propiciar a criação de cadeias produtivas que incrementam a participação das empresas pernambucanas no cluster, principalmente a metal-mecânica”, afirmou Leimig.

O que estamos fazendo aqui é colocar Pernambuco na cena global de petróleo, gás e offshore. Pensamos grande, começamos a fazer rápido e estamos tirando do papel as coisas que estavam sendo desenhadas”, explicou Eduardo.

Eduardo também disse que a consolidação do Suape Global vai além das oportunidades que serão geradas com a exploração das novas reservas petrolíferas encontradas na costa brasileira. “Estamos olhando o Pré-sal sim, mas também para a costa africana, para o Golfo do México, entre outras áreas. Entendemos que aqui nasce uma plataforma de prestação de serviços na área de petróleo, não só para o Brasil, mas para o mundo, do ponto de vista da nossa localização e da nossa infraestrutura”, garantiu.

Por fim, o governador ressaltou também a participação do Governo Federal para concretização do projeto Suape Global. “O que nasce em Suape, nasce pela força e uma visão de Governo do Presidente Lula. Pela decisão de fazer da Petrobras e do BNDES instrumentos que induzam o desenvolvimento e animem o investimento privado nacional e estrangeiro. Se não houvesse a Petrobras, o BNDES e o poder de compra da Transpetro, não estaríamos transformando essa nossa realidade”, afirmou.

ESTALEIRO – Eduardo ainda adiantou que um segundo estaleiro deve atracar em Pernambuco ainda esta semana de forma efetiva. De acordo com o governador, o anúncio deverá ser feito na próxima quinta-feira. A indústria naval deve ocupar uma área de 40 hectares e inicia suas operações dentro de dois anos. “O segundo estaleiro de Pernambuco está na mão. Será um investimento de cerca de R$ 300 milhões e que deve gerar 2.500 empregos”, disse o governador.

Ao contrário do estaleiro formado pelas empresas Alusa Engenharia, Galvão Engenharia, Samgdong, Komac e SBM Off Shore NV, que aguarda o resultado da licitação da Petrobras para a compra de novos navios, a nova fábrica de embarcações já conta com encomendas feitas pela estatal.

No último dia 10 de setembro, as cinco empresas e o Governo do Estado assinaram um protocolo de intenções que prevê um investimento de 495 milhões de dólares (cerca de R$ 845 milhões de reais). O estaleiro poderá gerar até três mil empregos diretos e outros seis mil indiretos. O início das obras está marcado para maio do ano que vem e a construção levará entre 12 a 15 meses.

Fonte: Governo de Pernambuco



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Não chore Globo, a Record vai lhe passar!



A confiança de quem acredita no Brasil

Os novos estúdios da Record, inaugurados nesta quarta-feira (28/10), são prova de confiança da empresa no Brasil e, por isso, motivo de orgulho, afirmou o presidente Lula seu discurso na cerimônia realizada no Rio de Janeiro. Lula lembrou que os investimentos da empresa na ampliação de seus estúdios aconteceram em 2005, quando poucos acreditavam no País:

"Aqueles que, em 2003, em 2002, não tinham votado em mim, depois da vitória ficaram em 2002, 2003, 2004 torcendo para que o governo não desse certo. Porque tem um certo tipo de gente no Brasil, que não se contenta no exercício da democracia e perder. Ele quer que quem ganhe não faça nada, para ele poder justificar o discurso feito durante a campanha" - Presidente Lula.

Fonte: Blog do Planalto



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Brasileiros têm orgulho da Petrobras, diz pesquisa


A população brasileira tem muito respeito e orgulho pela Petrobras. Em sua primeira participação na pesquisa F/Radar, iniciativa da agência de publicidade F/Nazca Saatchi & Saatchi e com enfoque principal em hábitos de uso da Internet, a Petrobras ficou no mesmo patamar que marcas internacionais como Apple, Coca-Cola e Google. Conclusão: passa a integrar o seleto grupo batizado pelo CEO mundial da Saatchi & Saatchi, Kevin Roberts de lovemarks – aquelas marcas que despertam não só o respeito, como o amor dos consumidores, segundo a metodologia.

Além de analisar a disseminação da Internet no País, a sexta edição da pesquisa F/Radar, realizada em agosto, investigou o quanto os brasileiros sentem orgulho e respeito pela Petrobras, em uma escala de 0 a 10. Nos dois quesitos considerados, em todas as faixas etárias, ambos os sexos, todas as classes socioeconômicas, níveis de escolaridade e regiões do País, as notas médias oscilaram entre 7,4 e 8,2. “Orgulho” (uma expressão de amor) teve média geral de 7,9, enquanto “Respeito” ficou com 8,2, sendo que, nos dois casos, três em cada dez respondentes atribuíram nota máxima à empresa.

Conheça a pesquisa F/Radar, clique aqui. Caso não consiga visualizar, clique aqui com o botão direito do mouse e escolha a opção "Salvar Destino Como...".


A F/Radar é realizada pelo Instituto de Pesquisa Datafolha, por encomenda da F/Nazca, semestralmente, desde o início de 2007. No levantamento de agosto deste ano foram feitas 2.334 entrevistas em todo o País, com abordagem pessoal em pontos de fluxo populacional. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, dentro de um nível de confiança de 95%. O desenho amostral foi elaborado com base em informações do Censo 2000 e estimativas 2008 do IBGE.

Avaliações positivas são recorrentes

A Petrobras tem sido bem avaliada no Brasil e no exterior. Em 2009, conquistou o terceiro lugar no ranking das Dez Empresas mais Admiradas no Brasil, em premiação promovida pela revista Carta Capital, em outubro. Meses antes, recebeu o quarto lugar entre as empresas mais respeitadas do mundo, segundo pesquisa divulgada pelo Reputation Institute, empresa privada de assessoria e pesquisa, com sede em Nova York.

A Companhia também é bem cotada nos campi universitários. Em pesquisa realizada com mais de 30 mil estudantes e recém-formados de todo o país, pela Cia de Talentos e TNS, a Petrobras foi apontada como a Empresa dos Sonhos dos Jovens. Das oito edições realizadas até agora, esta é a quinta vez consecutiva que a Petrobras sai na frente.

Fonte: Blog da Petrobras


Postagens relacionadas: "Lula diz que contrato entre Petrobras e PDVSA será assinado em outubro", clique aqui.
"Seminário: Pré-sal e o Futuro do Brasil", clique aqui.
"Lula propõe consolidação de políticas públicas para sustentar os avanços sociais (Vale a pena ler toda!)", clique aqui.
"Pronunciamento do Presidente Lula", clique aqui.
"O Pré-sal é nosso! Pode gritar povo brasileiro!", clique aqui.
"O site do Pré-sal (Petrobras)", clique aqui.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

29 de out de 2009

Paraíba: Será que eles gostam dos Movimentos Sociais?


Senadores
1 - Cícero Lucena (PSDB)
2 - Efraim Morais (DEM)


Deputados Federais
3 - Efraim Filho (DEM)
4 - Major Fábio (DEM)
5 - Wellington Roberto (PR) - retirou assinatura
6 - Marcondes Gadelha (PSC)
7 - Rômulo Gouveia (PSDB)


Por Fábio Rodrigues

Eles não gostam do Presidente Lula, com exceção de Marcondes Gadelha. Eles não gostam do MST.

Foram estes parlamentares que votaram pela criação da CPI do MST.

Será que eles gostam dos Movimentos Sociais?

Será que eles serão reeleitos em 2010?

Com a palavra os nossos leitores!



Fonte: Congresso em Foco, clique aqui e acesse lista completa.

Atualização às 19:13 - 29/10/2009, face comentário de Cristiana (mais uma matéria relacionada).
Matérias relacionadas: "Confira a lista dos deputados que retiraram a assinatura da CPI do MST", clique aqui.
"Frei Anastácio aponta senadores e deputados inimigos dos movimentos sociais da PB", clique aqui.


Postagem relacionada: "Pernambuco: Será que eles gostam dos Movimentos Sociais?", clique aqui.

Postado originalmente às 22:13 - 27/10/2009.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

27 de out de 2009

2010 promete uma renovação política como nunca se viu!


Ex-parlamentares se aposentam com plano de saúde ilimitado

Congresso reembolsa qualquer despesa de ex-senadores, ex-deputados e seus dependentes; gastos com dentista têm limite de R$ 25 mil por ano

Por Josie Jeronimo, do R7 em Brasília

A aposentadoria de mais de R$ 16 mil por mês a que 892 ex-deputados e senadores têm direito é um modesto benefício se comparado ao plano de saúde que os parlamentares herdam depois de assinar a ficha de adesão ao Plano de Seguridade Social dos Congressistas. Enquanto um trabalhador com mais de 59 anos teria que gastar pelo menos R$ 4.000 por mês para ter o melhor que os planos privados oferecem, por R$ 200 parlamentares aposentados têm atendimento médico ilimitado, com reembolso até mesmo de consultas e tratamentos fora do país. Apenas os tratamentos odontológicos e psicológicos são limitados a R$ 25 mil por ano. E sabe quem paga por tudo isso? Você.

Diferentemente dos servidores que têm plano de saúde reduzido a alguns procedimentos médicos, os parlamentares e seus dependentes podem fazer qualquer cirurgia e qualquer tratamento por conta da Câmara e Senado, para sempre. Os mais de 1.800 dependentes de deputados e senadores - mulher e filhos até 24 anos - ajudam a onerar as despesas do Congresso com saúde.

Só este ano já foram pagos R$ 48,5 milhões em assistência médica e odontológica na Câmara e R$ 27,2 milhões no Senado, de acordo com levantamento feito pelo gabinete do deputado Otávio Leite (PSDB-RJ) no Siafi (Sistema Financeiro Integrado, que permite acompanhar os gastos públicos) a pedido do R7. A previsão de gastos para o ano nas duas Casas é de R$ 116 milhões. Em aposentadorias, revela a pesquisa no Siafi, Câmara e Senado gastam R$ 90,3 milhões.

A generosidade da Câmara e do Senado com os parentes dos ex-parlamentares não é aplicada aos servidores. O presidente da Fundação de Estudos sobre Seguridade Social, Floriano José Martins, explica que os funcionários públicos não podem ultrapassar R$ 65 per capita com gastos de saúde.

- Em tese, a previdência dos deputados seria um regime geral, mas o plano de saúde deles é ilimitado. Para os servidores existem regras rígidas de utilização.

Apesar das benesses recebidas, os parlamentares aposentados ainda acham pouco. O presidente da ACB (Associação dos Congressistas do Brasil), entidade que representa mais de 1.500 ex-deputados, senadores, viúvas e pensionistas, Haroldo Sanford, reclama que as aposentadorias estão defasadas e que as viúvas, filhos de até 24 anos e ex-parlamentares têm dificuldade para sobreviver com a pensão de R$ 16 mil por mês.

- Desde que a verba indenizatória foi criada em 2001 os subsídios estão defasados.Toda a vida os deputados ganharam igual aos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Além de Sanford, o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP) e o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) fazem parte da diretoria da Associação dos Congressistas. O presidente da entidade, que também já foi deputado federal, reclama da aposentadoria, mas é só elogios para o plano de saúde.

- O plano de saúde da Câmara é de excelência.

De acordo com o presidente da ACB, os R$ 16 mil e o plano de saúde são os únicos benefícios. Ele explica que as viúvas também têm direito a metade do 13º salário, como abono de natal. Sanford, assim como a maioria dos parlamentares da antiga, lamenta o fim do IPC (Instituto de Previdência dos Congressistas). O instituto, extinto em 1999, era uma espécie de previdência diferenciada que pagava aposentadorias integrais a deputados e senadores com apenas oito anos de trabalho. Agora, eles precisam comprovar 35 anos de contribuição.

É permitido somar outras atividades como vereador, deputado estadual, mas é preciso pagar o período retroativo à Câmara. Ainda hoje, alguns parlamentares mais antigos recebem benefícios do IPC. Se não contribuírem os 35 anos, os parlamentares recebem benefício proporcional que varia de R$ 3.000 a R$ 16 mil. De acordo com a assessoria da Câmara, para o próximo ano estão previstos R$ 71 milhões do Orçamento só para a chamada "Previdência Especial".

O setor de Coordenação de Registro e Seguridade Parlamentar informou ao R7 que atualmente existem 582 deputados aposentados. Nos dois últimos anos, informou a responsável pelo setor, morreram muitos parlamentares, mas os dependentes continuam recebendo os benefícios. No Senado são 310 aposentados.

O R7 preparou uma série de reportagens sobre as aposentadorias de luxo e publica amanhã a última parte do especial: as regalias dos ex-presidentes e os benefícios pagos ao Judiciário.




Postagem relacionada:"Renovação política. Um ato de cidadania.", clique aqui.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Presidente Lula nosso Blog deseja um Feliz Aniversário!


O presidente Lula completa 64 anos hoje, 27 de outubro, mas comemorou antecipadamente neste sábado (24/10) seu aniversário, com direito a bolo e amigos no Palácio do Alvorada. O vice-presidente José Alencar e sua esposa Marisa Gomes compareceram à festa, que contou ainda com muitos companheiros do Partido dos Trabalhadores (PT).

Parabéns!

Fonte: Blog do Planalto
Foto: Ricardo Stuckert/PR



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Prorrogação de Edital – Seleção de editores de Canais da Plataforma Juventude.TV


AVISO ADITIVO

PRORROGAÇÃO DE INSCRIÇÃO DO EDITAL Nº 001/2009 – SELEÇÃO PARA EDITORES DE CANAIS DA PLATAFORMA JUVENTUDE.TV

A UNIVERSIDADE DA JUVENTUDE, para ampliar a participação da juventude em território nacional em toda sua diversidade, faz saber que o Edital nº 001/2009 - Abertura de Inscrições para a Seleção de editores de canais da plataforma juventude.tv, publicado no dia 18/09/2009, ficam prorrogadas até o dia 15/11/2009, foi objeto das alterações abaixo relacionadas, mantendo-se todas as suas demais condições:

ONDE SE LÊ:

1. CAPA

29 e 30 de Outubro de 2009 (Formação Virtual)

5. ESTRUTURA DA PLATAFORMA

Informações técnicas: os usuários terão acesso à tecnologia de postagem, wordpress. Para tal, receberão uma oficina formativa de uso da ferramenta após seleção pelo edital nos dias 29 e 30 de Outubro

7. PROCESSOS DE INSCRISÃO E SELEÇÃO DOS PARTICIPANTES

Todos os candidatos devem inscrever-se usando o formulário de inscrição on-line até o dia 25 de Outubro de 2009.

Resultados Finais até 27 de Outubro de 2009.

8. DIVULGAÇÃO DE SELEÇÃO

Os candidatos selecionados, ou na lista de espera, receberão a confirmação de seleção dia 27 de Outubro de 2009.

LEIA-SE:

1. CAPA

19 e 20 de Novembro de 2009 (Formação Virtual)

5. ESTRUTURA DA PLATAFORMA

Informações técnicas: os usuários terão acesso à tecnologia de postagem, wordpress. Para tal, receberão uma oficina formativa de uso da ferramenta após seleção pelo edital nos dias 19 e 20 de Novembro

7. PROCESSOS DE INSCRISÃO E SELEÇÃO DOS PARTICIPANTES

Todos os candidatos devem inscrever-se usando o formulário de inscrição on-line até o dia 15 de Outubro de 2009.

Resultados Finais até 17 de Novembro de 2009.

8. DIVULGAÇÃO DE SELEÇÃO

Os candidatos selecionados, ou na lista de espera, receberão a confirmação de seleção dia 17 de Novembro de 2009.

Recife, 26 de Outubro de 2009.

Universidade da Juventude - UNIJUV

Visite e divulgue:

http://www.Juventude.TV



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Pernambuco: Será que eles gostam dos Movimentos Sociais?


Senadores
1 - Jarbas Vasconcelos (PMDB)
2 - Marco Maciel (DEM)


Deputados Federais
3 - André de Paula (DEM)
4 - José Mendonça Bezerra (DEM)
5 - Roberto Magalhães (DEM)
6 - Edgar Moury (PMDB)
7 - Raul Henry (PMDB)
8 - Eduardo da Fonte (PP) - retirou assinatura
9 - Raul Jungmann (PPS)
10 - Bruno Araújo (PSDB)
11 - Bruno Rodrigues (PSDB)
12 - Charles Lucena (PTB) - retirou assinatura

Por Fábio Rodrigues

Eles não gostam do Presidente Lula. Eles não gostam do MST.

Foram estes parlamentares que votaram pela criação da CPI do MST.

Será que eles gostam dos Movimentos Sociais?

Será que eles serão reeleitos em 2010?

Com a palavra os nossos leitores!



Fonte: Congresso em Foco, clique aqui e acesse lista completa.

Matéria relacionada: "Confira a lista dos deputados que retiraram a assinatura da CPI do MST", clique aqui.


Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Espertezas em Campanhas


Por Mauro Nunes*
para o Blog do Fábio Rodrigues

Habituamo-nos a, no cotidiano, ouvir acusações, denúncias e desmentidos. Muitos desmentidos, com propositais tendências à desqualificação de posturas e comportamentos de adversários políticos.

Na verdade, e a rigor, assiste-se a uma desqualificação da população que fez suas opções nas eleições, e certamente, está ansiosa por mudanças que reflitam em suas vidas.

É bem possível que nessas reflexões, eu esteja me valendo indevidamente do conceito de sociedade e povo. Como fazem alguns políticos em relação aos seus eleitores, quando em busca de espaços para expressar suas opiniões. Chorar suas mágoas e despejar rancores.

Contudo, o respeito pelos leitores e o saudável cacoete de consultor não me permite concluir este texto sem propostas objetivas.

A imprensa da tinta, da voz e da tela (TV e PC), repositório dos mais respeitados formadores de opinião, talvez premidos pela normose, tem oferecido guarida, em não poucos casos, além da conta, aos agentes políticos que nunca descem do palanque.

Além da imprensa, outros segmentos representativos da sociedade - professores, servidores públicos, lideranças políticas e empresariais, estudantes e profissionais liberais - precisam rever a sua percepção e o seu envolvimento nessas questões caracterizadamente de normose.

Reconhecidamente polêmica, porque pode atrair uma outra concepção conceituada como normose - que é o democratismo -, e com a convicção de que temos sido por demais tolerantes com ilicitudes e espertezas, arriscaria algumas reflexões e provocações:

(1) Atentar para as motivações quando da disseminação de opiniões com conteúdos que só ampliam a queda de braço entre os políticos. E que nada acrescentam ao debate civilizado. Não permitir que o hábito da queda de braço pelo poder a qualquer custo torne-se consenso;

(2) Promover encontros, em fórum de total isenção - como a API, OAB, Universidades - com formadores de opinião para que se estabeleça uma estratégia em busca da civilidade e da construção de propostas em torno do desenvolvimento sustentável do Município.

(3) Reservar espaços privilegiados aos formadores de opinião na imprensa da tinta, da voz e da tela (TV e PC) para, com a clareza de suas competências, elevar o nível dos debates e, nessa esteira, apresentar propostas de reconhecido significado para a sociedade.

A proposição é polêmica, além de atrevida. Mas, todos querem emprego, renda, educação, saúde, diminuição da pobreza, alimentos, água, mais civilidade no trato da coisa pública etc. São interesses comuns convergentes que estão claramente definidos.

Esteja atenta a sociedade: não devemos permitir que a esperteza de poucos crie uma cultura perversa que ultrapasse as fronteiras da civilidade e se transfira perigosamente como princípios formadores das posturas e atitudes futuras das atuais gerações.

Afinal, mesmo que atrevidamente, pensar na construção do futuro é pensar em um cenário de maior civilidade, integridade e honestidade para nossos filhos e netos. Filhos e netos dos formadores de opinião. Filhos e netos dos atores que compõem as diversas correntes políticas.

Planeta Terra, 20 de outubro de 2009
Acesse meu site
Mauronunes.com
Veja meu blog
Reflexão de Caminheiro
Faça Comentários, entre em contato: mauronunesp@gmail.com

*Consultor de Estratégias empresariais e governamentais. Facilitador de Cursos de Gestão Estratégica.
Contribuições aos Sistemas Sebrae Unimed e O Boticário. Professor universitário, Diretor de Estratégias do Sebrae Nacional. Co-autor do Plano de Prioridades para as MPEmpresas brasileiras. Membro do movimento que criou o Sistema Nordeste de Apoio às MPE. Missão propositva de políticas de apoio aos pequenos negócios em Angola. Fundador da Institução (NAI), uma das inspiradoras da criação do Sebrae.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FabioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

26 de out de 2009

Motorista paraibano de 101 anos nunca recebeu multa de trânsito

Pedro Nunes - 101 anos

Por Marcelle Ribeiro, O Globo

SÃO PAULO - O paraibano Pedro Nunes de Oliveira tem 101 anos, dirige até hoje e tem orgulho de nunca ter levado uma multa de trânsito. Na semana passada, um inglês de 99 anos virou notícia por ser considerado ' o motorista mais seguro do mundo', já que nunca tinha sido multado. Pois Pedro Nunes Oliveira também pode ser considerado o motorista brasileiro mais seguro do Brasil.

Nascido em 15 de janeiro de 1908, na cidade de São João do Cariri, na Paraíba, ele tirou a carteira há 59 anos, em 1950, e dirige até hoje. O carro dele é uma brasília azul, que o acompanha há 35 anos, e é tão querida que tem até nome: Naná.

Oliveira aprendeu a dirigir com 51 anos de idade, com a ajuda de amigos e não frequentou cursos de direção. Chegou inclusive a ser motorista de caminhão por dois anos, viajando por estados do Nordeste, como Pernambuco e Alagoas. Em 2004, com 96 anos, foi homenageado pelo Detran da Paraíba, por ser considerado um dos motoristas mais antigos do estado.

O primeiro carro dele foi uma caminhonete.

- Foi na caminhonete que aprendi a dirigir. Eu tinha um depósito de material de construção e usava ela para carregar tijolo, pedra, telha, cal e areia - lembra.

Oliveira diz que não gosta de dar conselhos para os motoristas mais novos, pois diz que "ninguém quer mais ouvir conselhos". Mas acredita que o segredo de nunca ter sido multado é o respeito às leis.

- Respeito a lei, as ordens e as autoridades. Fui e sou um cidadão de respeito. E tem também que ter atenção, vontade de viver - revela.

Pedro Oliveira diz que atualmente não dirige mais à noite, por achar que as chances de acidentes de trânsito acontecerem neste período são maiores. Ele critica os motoristas de hoje:

- Eles dirigem mal. Ninguém dirige mais com atenção. Para a mocidade, tanto faz bater ou não bater. Não se importam com a vida, com a própria vida - afirma.

Oliveira afirma que nunca causou uma batida, mas diz que outros motoristas já bateram cinco vezes em carros seus, todas elas sem provocar ferimentos.

Afirmando nunca ter bebido, o paraibano reclama dos condutores que dirigem depois de ter ingerido bebibas alcóolicas.

- O sujeito, dirigindo bêbado, não sabe o que está fazendo - disse.

Outra precaução tomada por Oliveira é controlar a velocidade do veículo. Ele afirma que nunca dirigiu acima dos 80 km/h, velocidade que só atingiu em casos de grande necessidade e urgência.

Ciúme da brasília


Oliveira já teve quatro carros, mas do mais querido, a Brasília azul, ele diz cuidar com muito carinho.

- A Brasília é um luxo. Ela tem nome: Naná. Foi uma amiga minha que batizou, porque achou esse nome bonito. Os Mamonas tinham uma brasília amarela, a minha é azul - disse o centenário, referindo-se à brasília amarela cantada pela banda Mamonas Assassinas.

Com sete filhos, 20 netos e 25 bisnetos, Oliveira diz que só quem pode dirigir a Brasília é ele, apesar de outras pessoas poderem entrar no carro:

- Só quem pega ela sou eu. Não deixo pegar. Com o amor que eu tenho por ela, não deixo ninguém pegar - conta Oliveira.

Oliveira conta que para colocar o carro para funcionar é preciso saber um "mistério" e só ele sabe ligar o veículo, o que faz antes de entrar na brasília.


Meu comentário:

Eu sou um dos 20 netos desse jovem motorista. Vô Pedro é um cidadão exemplo. Em uma de suas diversas entrevistas, uma me marcou bastante, na qual ele disse: "Os jovens precisam ler mais". Ele possue um hábito de leitura contínuo e além de ser um dos dançarinos mais requisitado do Clube da Melhor Idade Paraibana. Já trocou uns 5 pares de sapatos de tanto dançar!



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

25 de out de 2009

Pesquisa do Ibope traz Lula com 94% de aprovação dos paraibanos

Presidente Lula feliz da vida

A pesquisa Ibope quis saber dos paraibanos qual a aprovação do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). E 94% dos 812 consultados disseram aprovar a atual administração. Apenas 5% desaprovaram o Governo Lula e 1% disse não saber.


O Ibope também quis saber como os paraibanos classificariam a administração do atual presidente. Veja as respostas: 50% a consideram ótima, 37% consideram boa, 11%, regular, 1%, ruim, e outro 1%, péssima.

Confira mais dados na tabela abaixo:


A pesquisa foi encomendada pelo Jornal da Paraíba e foi realizada entre os dias 8 e 11 de outubro. Durante a coleta foram entrevistados 812 eleitores com mais de 16 anos.

Fonte: Paraíba 1



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

24 de out de 2009

As eleições no Uruguai: quem é Pepe Mujica

Pepe Mujica

Por Brizola Neto, no seu Blog

Como tratei aqui, outro dia, amanhã há eleições no nosso vizinho Uruguai. Comentei as pesquisas e falei da falta de atenção que nossa imprensa tem com o que se passa aqui, exceto quando se trata de dar espaço aos adversários das forças e governos progressistas que hoje se espalham neste continente. Pois hoje, por isso, quero trazer a vocês um pouco de informação sobre o homem que, ao que parece, está a um passo de se tornar presidente uruguaio e sobre o qual não me recordo de ter lido nada nos jornais brasileiros.

José Mujica tem 75 anos. Foi um dos fundadores do Movimento de Libertação Nacional (MLN), os tupamaros, que surgiu como uma oreganização de esquerda ainda no período civil, em contraponto ao bipartidarismo blanco-colorado que dominava o país. Depois de 1973, com a implantação de uma ditadura militar, passou à luta armada. O nome tupamaro vem de Tupac Amaru, um líder inca que lutou contra a dominação espanhola.

Por conta disso, Mujica passou 14 anos detido em diversas unidades militares e fez parte do grupo de líderes do MLN mais próximos ao fundador dessa guerrilha, Raúl Sendic. Com a redemocratização, o movimento integrou-se à Frente Ampla, uma coalizão de forças de esquerda liderada pelo legendário opositor da ditadura, o General Liber Seregni.

Mujica, que é conhecido como “Pepe”, disputou a escolha interna com o moderado Danilo Astori, ex-ministro da Economia. No congresso da Frente Ampla, Mujica obteve 71% dos votos, enquanto que Astori teve 23%. Depois, passou por uma eleição interna entre os filiados ao partido e venceu Astori por 50 a 38%.

Agricultor, carismático, “Pepe” Mujica é famoso por sua fala simples, direta, “campechana” , como dizem lá. Andava sempre com uma velha lambreta pelas ruas de Montevidéu, é considerado o político mais popular no Uruguai, especialmente entre os jovens e os uruguaios que migraram do país. Foi eleito deputado nas eleições de 1994 e senador em 1999. Nas eleições de 2004 foi o legislador com maior quantidade de votos, cargo a que renunciou ao ser designado ministro de Pecuária, Agricultura e Pesca em março de 2005, onde ficou até de março do 2008.

O passado de Mujica não parece causar-lhe problemas eleitorais. Suas tiradas, porém, já renderam muita polêmica. Passou a se cuida mais e definiu que “”a democracia começa na orelha, escutando a todo mundo”.

Sob o silêncio da imprensa brasileira, Mujica tem entre 46 e 49% das intenções de voto no Uruguai. Precisa de 50% para vencer no primeiro turno. Amanhã, se conseguir, será o novo presidente uruguaio. Senão, poucos duvidam que vença o segundo turno, dia 29 de novembro.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

23 de out de 2009

O bom debate sobre a Blogosfera (IV)


Pra quem ainda duvida da força da Internet

Por Renato Rovai, no seu Blog

Mesmo com todos os avanços da Internet não é incomum ouvir em debates que ela ainda é muito elitista. Que só atinge uns poucos de classe média dos grandes centros metropolitanos. Selecionei alguns dados e divido com vocês para mostrar como, mesmo no caso brasileiro, essa afirmação já não reflete a realidade.

De acordo com o Ibope Nielsen Online, em julho deste ano, 64,8 milhões de brasileiros acessavam a Internet nos mais diversos ambientes – casa, trabalho, biblioteca, lan-houses, escolas etc. Ou seja, quase 1/3 da população.

Pelo mesmo instituto, em agosto, houve um aumento de 5% na quantidade de pessoas com acesso à web no trabalho ou em casa, em relação a julho. Só em casa ou no trabalho já são internautas 47 milhões de pessoas, ¼ da população.

O Ibope ainda calcula que 87% dos internautas brasileiros entram na Internet semanalmente, o que desmente a tese de que as pessoas a usam só de vez em quando.

A grande novidade é que só se está chegando a esses números porque a classe C está invadindo a rede e comprando computadores. A penetração na Internet desse segmento já é de 45% do total de brasileiros. Nas classes A e B é de 76%. Nas classes D e E juntas este percentual é de 10%. Ou seja, também na Internet elas estão excluídas. Mas também, não só.

O Brasil já tem 60 milhões de aparelhos de computadores em uso e, segundo a Fundação Getúlio Vargas, esse número deve chegar a 100 milhões em 2012. Em 2008 foram vendidos 12 milhões de computadores no Brasil, segundo a Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica). No primeiro semestre deste ano, mesmo com toda tsunami da crise econômica, 4,8 milhões de computadores foram vendidos Hoje, 95% das empresas brasileiras já possuem computador.

Há muitos outros dados sobre a Internet que desmontam as visões de que o computador e a Internet são instrumentos elitistas de comunicação. O engraçado é que boa parte dos que vêem a Internet com desdém acham que os jornais impressos fazem toda a diferença. A maior tiragem média diária no Brasil é de 300 mil exemplares.

Postagem relacionada: "O bom debate sobre a Blogosfera (III)",
clique aqui.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

Blogueiros do Brasil, uni-vos!


Por Fábio Rodrigues

Sei que a união dos blogs é muito forte e a rede social formada consegue rapidamente solucionar alguns problemas de nossa legião. Com isso, conclamo que todos e todas lutemos para que o Blog Bodega Cultural não "morra".

Contamos com a ampla participação.

Clique aqui e acesse a "possível" despedida do editor da Bodega.


Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FábioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo

21 de out de 2009

Por que a Justiça não pune os ricos?


CRISE DO JUDICIÁRIO

A mesma instituição que concede habeas corpus a figuras como a proprietária da butique de luxo Daslu, que deve aos cofres públicos R$ 1 bilhão, deixa ladras de xampu e desodorante longos meses mofando na cadeia.

Por Tatiana Merlino, na Caros Amigos
Jornalista vencedora do
Prêmio Vladimir Herzog 2009
Categoria "Revista"


Maria Aparecida evita olhar para sua imagem refletida no espelho. Faz quatro anos que a jovem paulistana saiu da cadeia, mas, nem que quisesse, conseguiria esquecer o que sofreu durante um ano de detenção. Seu reflexo remonta ao ocorrido no Cadeião de Pinheiros, onde esteve presa após tentar furtar um xampu e um condicionador que, juntos, valiam 24 reais. Lá, Maria Aparecida de Matos pagou por seu “crime”: ficou cega do olho direito.

Portadora de “retardo mental moderado”, a ex-empregada doméstica foi detida em flagrante em abril de 2004, quando tinha 23 anos. Na delegacia, não deixaram que telefonasse para a família. Foi mandada diretamente para a prisão, onde passou a dividir uma cela com outras 25 mulheres. Em surto, a jovem não dormia durante a noite, comia o que encontrava pelo chão, urinava na roupa.

Passado algum tempo, para tentar encerrar um tumulto, a carceragem lançou uma bomba de gás lacrimogêneo na área das detentas. Uma delas resolveu jogar água no rosto de Maria Aparecida, e a mistura do gás com o líquido fez com que seu olho fosse sendo queimado pouco a pouco. "Parecia que tinha um bicho me comendo lá dentro", conta.

A pedido das colegas de pavilhão, que não aguentavam mais os gritos de dor e os barulhos provocados pela moça, ela foi transferida para o "seguro", onde ficam as presas ameaçadas de morte. Maria Aparecida passou a apanhar dia e noite. "Eu chorava muito de dor no olho, e elas começaram a me bater com cabo de vassoura", relembra, emocionada. Somente quando compareceu à audiência do seu caso, sete meses depois de ter sido detida, sua transferência para a Casa de Custódia de Franco da Rocha, na Grande São Paulo, foi autorizada. Lá, diagnosticaram que havia perdido a visão do olho direito.

Foi nessa época que sua irmã Gisleine procurou a Pastoral Carcerária, que a encaminhou para a advogada Sonia Regina Arrojo e Drigo, vice-presidente do Instituto Terra, Trabalho e Cidadania (ITTC). Sonia entrou com um pedido de habeas corpus no Tribunal de Justiça de São Paulo, que foi negado. Apelou, então, ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que, em maio de 2005, concedeu liberdade provisória à jovem, 13 meses depois de ter sido presa por causa de 24 reais.

A advogada também entrou com um pedido de extinção da ação, baseando-se no “princípio da insignificância”, aplicado quando o valor do patrimônio furtado é tão baixo que não vale a pena a justiça dar continuidade ao caso. No entanto, até hoje, o processo não foi julgado, e Maria Aparecida continua em liberdade provisória.

A situação indigna Gisleine. "É um descaso muito grande. Já era para esse julgamento ter acontecido. Minha irmã pagou muito caro por esse xampu que não chegou a utilizar", critica. "Tem gente que não precisa estar na cadeia. Existem penas alternativas e o caso dela não seria de prisão, mas sim de internação, já que desde os 14 anos ela toma medicação controlada", afirma.

Justiça seletiva

O mesmo recurso jurídico – o habeas corpus – pedido pela advogada Sonia Drigo para que Maria Aparecida respondesse ao processo em liberdade foi solicitado e concedido, em 24 horas, a outra mulher. Mas um “pouco” mais rica: a empresária Eliana Tranchesi, proprietária da butique de luxo Daslu, em São Paulo, condenada em primeira instância a uma pena de 94,5 anos de prisão. Três pelo crime de formação de quadrilha, 42 por descaminho consumado (importação fraudulenta de um produto lícito), 13,5 anos por descaminho tentado e mais 36 por falsidade ideológica.


Somando impostos, multas e juros, a Justiça diz que a Daslu deve aos cofres públicos 1 bilhão de reais. Os representantes da empresa contestam esse valor, mas afirmam que já começaram a pagar as dívidas. A sentença inclui ainda o irmão de Eliana, Antonio Carlos Piva de Albuquerque, diretor financeiro da Daslu na época dos fatos, e Celso de Lima, dono da maior das importadoras envolvidas com as fraudes, a Multimport.

A prisão de Tranchesi foi consequência da Operação Narciso, desencadeada pela Polícia Federal em conjunto com a Receita Federal e o Ministério Público em julho de 2005, com o objetivo de buscar indícios dos crimes de formação de quadrilha, falsidade material e ideológica e lesão à ordem tributária cometida pelos sócios da butique.

De acordo com juristas e analistas ouvidos pela reportagem da Caros Amigos, a diferença de tratamento dispensado a casos como o de Maria Aparecida e Eliana Tranchesi acontece porque, embora na teoria a lei seja a mesma para todos, na prática, ela funciona de forma bem distinta para os representantes da elite e para os pobres.

Sonia Drigo ressalta, entretanto, que não existe uma justiça para ricos e outra para as camadas mais humildes. “Ela é uma só, mas é aplicada diferentemente”. Segundo o cientista político e professor da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Andrei Koerner, a questão do acesso à justiça no Brasil é histórica. "Sempre houve uma grande diferença de tratamento dos cidadãos de diferentes classes sociais pelas instituições judiciárias".

Ele explica que dentro do judiciário há distinções no andamento e efetividade dos processos, que variam com a classe social dos envolvidos. Segundo ele, um dos maiores problemas do poder é sua morosidade. No entanto, "isso não significa que os processos dos ricos são mais ágeis. Depende dos interesses e efeitos produzidos pelos processos". Ou seja, a Justiça, quando interessa às classes dominantes, também pode ser lenta. Como exemplo, o professor cita "o longo tempo de uma execução para cobranças de dívidas de impostos, de contribuições previdenciárias".

Em relação a casos penais, isso também ocorre, "como quando uma pessoa com muitos recursos financeiros é acusada – Paulo Maluf, por exemplo. Nesse caso, ela é capaz de bloquear o andamento do processo até que a pena esteja prescrita. A agilidade em decidir a prisão ou soltura de uma pessoa também varia, de acordo com sua classe social", aponta Koerner. A diferença é que "um acusado de classe menos favorecida não será capaz de usar as oportunidades permitidas pelo processo".

O juiz criminal Sérgio Mazina, presidente do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim), acredita que o sistema judiciário reserva, aos pobres, o espaço da justiça criminal. "Essa desigualdade, mais servil aos interesses dos poderosos e mais repressiva em relação aos mais necessitados, acirra-se ainda mais em países como o Brasil, que tem uma sociedade baseada num sistema escravista".

De acordo com Roberto Kant de Lima, Professor Titular de Antropologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), existem “moralidades” distintas por parte dos agentes de segurança pública e justiça criminal no tratamento à criminalidade, quando ela está ligada ou não ao patrimônio. “Os latrocínios [roubo seguido de morte], por exemplo, são julgados por um juiz singular, enquanto que os outros homicídios são julgados pelo júri popular’’. Segundo o professor, que coordena o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia, pode-se concluir que as várias “moralidades” afetam desigualmente a aplicação da lei, sendo que algumas dessas desigualdades estão registradas em tipos processuais explícitos, enquanto outras, não.

Mazina sustenta que a justiça brasileira é constituída para não ser popular. Em sua avaliação, desde a formação da legislação, há uma preocupação muito maior com a preservação patrimonial em detrimento da proteção da integridade física. Isso contribui, portanto, para a criminalização das camadas mais baixas da população, mais propensas, por sua condição social, a cometerem delitos contra o patrimônio. "Há um acirramento da legislação para os crimes cometidos pelos pobres. O código penal brasileiro criminaliza a pobreza", denuncia Mazina.

Sonia Drigo acredita que há uma dupla criminalização, pois "a exclusão já é uma criminalização. Isso me lembra a diferença de tratamento dado para um sem-teto e para aquele que mora numa mansão. Vamos penalizar aquele que não tem endereço, nem carteira assinada. Então, vamos bater nele, torturá-lo porque não teve condições de estudar e trabalhar".

O caso da ex-empregada doméstica Maria Aparecida não deixa dúvidas a respeito de como isso acontece na prática. Na casa de sua irmã, em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, a moça pouco fala. Mantém-se de cabeça baixa, cabelos longos e negros escondendo parte de seu rosto. Às vezes, esboça um sorriso ingênuo. Sua expressão é de uma menina.

Quando faz um balanço da prisão, da tortura e da perda da visão, muda a fisionomia: "Tudo isso por conta de um xampu. Minha vida acabou". Maria Aparecida compara-se com Eliana Tranchesi. "Eu peguei só um xampu e fiquei lá. Ela, cheia de dinheiro, saiu logo, e teve do bom e do melhor".

A alegação que foi dada à família de Maria Aparecida para a perda da visão foi de que a jovem havia batido com o rosto no trinco de uma porta. "Mas isso é mentira, não tinha porta com trinco nenhum lá", afirma Gislaine. Quando a moça foi transferida da cadeia para o manicômio em Franco da Rocha, fizeram um exame de corpo de delito, que atestou lesões corporais leves. "Ela perdeu um órgão vital, não a socorreram. Gostaria de saber o que seria a lesão corporal grave, entregá-la num caixão para a família?", questiona Gislaine, indignada.

Propriedade, o grande valor do direito penal

De acordo com a juíza Kenarik Boujikian Felippe, integrante da Associação de Juízes para a Democracia (AJD), "a propriedade é o grande valor do direito penal. Basta ver que a pena do furto é maior do que a pena de tortura. Para o direito penal, pegar algo da sua bolsa é mais grave do que a tortura", avalia. Ou seja, para a justiça brasileira, é mais importante proteger um xampu e um condicionador de alguma loja que a integridade física de Maria Aparecida.

A "sagrada" defesa da propriedade privada acaba sendo utilizada como argumento para criminalizar movimentos sociais, como no caso das organizações como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). "Na medida em que esses movimentos possam a reivindicar uma redistribuição de riquezas, há sua criminalização. Se tiverem apresentando um reclamo como o da proteção do meio ambiente, não há necessidade de criminalizá-lo. Mas se eles questionam a estrutura econômica da sociedade, há uma propensão à sua criminalização".

Para Kenarik, a diferença de tratamento dispensado a ricos e pobres pode ser atribuída, ainda, a um "judiciário extremamente conservador, ideológico, que acha que pobre, por sua natureza, tem que estar preso. Ninguém assume isso, mas existe. É algo que vem de 500 anos de historia".
Especialistas ouvidos pela reportagem acreditam que, muitas vezes, os magistrados estão imbuídos de preconceito quando vão lidar com pessoas das classes menos favorecidas. De acordo com o defensor público Rafael Cruz, a exigência de endereço fixo e de trabalho para conceder liberdade provisória a uma pessoa que está sendo processada é um exemplo típico. "Na justiça federal, onde tem os crimes tributários, isso não acontece. Há uma seletividade, como se os crimes contra o patrimônio fossem mais graves que os crimes tributários".

Na avaliação do juiz Sérgio Mazina, aqueles que não têm bons antecedentes e não são proprietários acabam sendo estigmatizados. "Então, o discurso do juiz, dos policiais, é voltado para a priorização de quem tem condições econômicas, e para a punição do mais carente".

Sonia Drigo resume. A lógica, na cabeça dos magistrados, funciona assim: "vamos ver se esta pessoa não está envolvida em outros casos, se o endereço dela é este mesmo. É como se um morador de rua não tivesse cidadania para responder em liberdade qualquer processo que venha a ser instaurado contra ele".

Casos arbitrários é que não faltam. Desde 2005, após conseguir um habeas corpus para Maria Aparecida, Sonia trabalha defendendo voluntariamente mulheres acusadas de cometer pequenos furtos. O trabalho, segundo ela, não tem fim, pois sempre aparece um caso novo, o que evidencia o comportamento do Judiciário. "É como se a Justiça dissesse: 'Por que ela roubou picanha e não carne moída? Ela disse que estava com fome, mas quem garante?'. A dúvida sempre é contra aquela pessoa. Sempre se faz mau juízo, e não garante a ela os benefícios que são garantidos para aqueles que têm informação, instrução", critica.

Uma das mulheres que Sonia defende também se chama Maria Aparecida, e foi presa em flagrante por tentativa de furto de seis desodorantes de uma loja em São Paulo. Condenada a 14 meses, sua pena está próxima do fim.

A moça está na Penitenciária Feminina de Santana, a mesma onde Eliana Tranchesi esteve presa. A diferença é que a última teve habeas corpus concedido, enquanto a primeira não. Uma, era acusada de sonegar 1 bilhão em impostos. A outra, tentou subtrair objetos que não chegavam a totalizar 30 reais.

"A pena adequada não seria de privação de liberdade, e além disso, a liberdade provisória poderia ter vindo em favor dela 48 horas depois. Mas não veio. E aqui também seria aplicável o principio da insignificância", diz Sonia. Se o caso chegar ao STF, será anulado, garante. No entanto, a mulher já terá cumprido toda a sua pena.
"Ninguém vai prejudicar o patrimônio de uma grande rede de supermercados porque tentou furtar seis desodorantes que não foram usados, o chocolate que não foi comido, a picanha que não foi assada, o brinquedo que não foi usado. Há crimes contra a vida, homicidas famosos que têm o direito da liberdade provisória garantida. Já essas pessoas não, pois ousaram atingir o patrimônio de alguém".

Relações perigosas

O preconceito dos membros da Justiça com as classes mais pobres também é fruto da relação histórica entre representantes da elite e do Judiciário, afirmam os analistas. "No Brasil, ele é formado por quadros da classe dominante, especificamente no século 19. Havia a necessidade da formação de quadros, e eles vieram da elite agrária", lembra Mazina.

Na avaliação do Professor Titular de Antropologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Roberto Kant de Lima, "em qualquer sociedade, os membros do Judiciário serão parte das elites, seja por sua posição original, seja por merecimento". No entanto, ele avalia que a elite brasileira não é cidadã, pois reivindica sempre privilégios "como a aplicação particularizada e excepcional da lei no seu caso, ao invés de reivindicar a uniformidade na aplicação das normas para todos, sem distinção, característica de qualquer República".

Desse modo, acredita, o poder econômico e as relações pessoais assumem um peso crítico, "pois são acionados mecanismos legais e morais que encontram respaldo na sociedade brasileira, socialmente hierarquizada, embora teoricamente republicana".

Outro aspecto apontado é que quando se trata de crimes cometidos pela elite, como desvio de dinheiro, "parece que o acusado não é uma ameaça para a sociedade, e assim, não há um interesse para que o processo ande rapidamente", avalia Sonia Drigo. Ela lembra que nunca se encarcerou tanto no país como hoje. De acordo com dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, em 1995, havia 148 mil detidos nas penitenciárias e delegacias no país. Em junho de 2007, esse número subiu para 422.373. "Esses presos não são da elite e uma boa parte não deveria estar preso. 30% do total poderia estar em liberdade”.

No Brasil, é consenso entre a população que os ricos nunca vão presos, e que cadeia é coisa de pobre. "Aqui na justiça estadual [de São Paulo] não temos a competência de investigar crimes financeiros, colarinho branco. Eles correm na justiça federal. Aqui temos roubo, tráfico de entorpecentes", relata a juíza Kenarik Boujikian Felippe. "Mas qual é o trabalho que a policia faz com eles?. O sistema policial funciona só para quem é pobre. Aquele que ganha rios de dinheiro eu não vejo, não sei quem é esse cara. Esses réus nem chegam aqui. Eles estão na esfera federal. E a policia sempre funcionou para isso, e acaba se refletindo.

Para Sérgio Mazina, presidente do Ibccrim, o principal motivo de haver poucos representantes da elite processados e condenados é fundamentalmente político, mas é resultado, também, de um sistema falho. "Não temos uma policia preparada para investigar esse tipo de crime, ela é preparada para investigar e prender aquele que está te assaltando no meio da rua com revólver, querendo pegar sua bolsa ou celular".

Já para ir atrás de crime cometido pelos representantes do poder econômico, segundo Mazina, não há estrutura, pessoal, equipamentos, e sequer formação para entender o delito que está sendo praticado, pois ele é, geralmente, complexo, por mexer com os aspectos tributário e financeiro. Assim, o sistema "se resume a fazer intervenções espetaculares, sensacionais, que acontecem em momentos da mídia, mas que são inconsistentes".

O presidente do Ibccrim destaca que a punição precisa estar assentada em cima de provas. "Não adianta sair dando sentenças de um século para todo mundo, porque ela não vai subsistir e a justiça vai ficar desacreditada. Esse é o grande perigo".

No caso de Maria Aparecida e Gisleine, isso já aconteceu. “O Judiciário precisa ser modificado. Tem que se tratar todos igualmente”, sentencia Gisleine. Já Maria Aparecida diz que a perda do olho abala muito sua vaidade: “Se pelo menos eu tivesse saído com a minha vista, nem precisava de nada mais”. Você se sente injustiçada? "Sim, muito", responde, escondendo o rosto, lágrimas escorrendo.



Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.FabioRodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com


Clique aqui e leia texto completo
Clique no link "Postagem(ns) mais antiga(s)" (acima), para continuar lendo nosso blog. E a qualquer momento clique no link "Início" para voltar a página inicial.