6 de dez de 2009

Pernambuco: Jorge Gerdau elogia gestão do Governo do Estado

Jorge Gerdau e Eduardo Campos

O governador Eduardo Campos recebeu na manhã desta quinta-feira (03/12), no Palácio do Campo das Princesas, o fundador do Movimento Brasil Competitivo (MBC), o empresário Jorge Gerdau. Formado em 2001, o MBC é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), e tem como objetivo viabilizar projetos que proporcionem o aumento da competitividade das organizações e da qualidade de vida da população.

A visita serviu para que o Governo do Estado prestasse contas dos resultados obtidos com o Programa Modernizando a Gestão Pública – PMGP, que começou a ser implantado pela atual gestão ainda em 2006, logo após as eleições. De acordo com o governador, são três anos de “muito aprendizado” que proporcionaram ao Estado ampliar os investimentos e fazer de Pernambuco um lugar melhor para se viver.

R$ 600 milhões por ano. Essa era a média histórica de investimentos feitos pelo Estado entre os anos de 2003 e 2006. Com esse processo de gestão nós pudemos, este ano, chegar perto de triplicar este valor (a previsão é que R$ 1,76 bilhão seja investido pelo Estado este ano). Isso é fruto de gestão, de uma decisão de melhorar os processos não só de arrecadação, mas de captação de recursos de convênio”, explicou.

Durante a reunião, o secretário de Planejamento e Gestão, Geraldo Júlio apresentou o balanço de diversas áreas. A redução de despesas por parte do Governo mereceu destaque. Segundo o secretário, somente no ano passado, o Estado conseguiu economizar R$ 104 milhões no custeio da máquina, através da racionalização das despesas tidas como “ruins”. Outros dados como a redução de 12,93% na quantidade de homicídios entre janeiro e novembro de 2009 em relação ao mesmo período de 2008 e o aumento de 6,8% do PIB-PE no ano passado também foram enfatizados, assim como o aumento na arrecadação de impostos.

“Crescemos a arrecadação sem nenhum projeto de aumento de alíquotas na Assembléia Legislativa. Ao contrário, mandamos mais de 30 projetos que baixaram os percentuais de carga tributária em diversos setores. É a primeira vez que um governo chega ao terceiro ano sem ter mandado nenhum projeto aumentando alíquota de ICMS de energia, de gasolina, disso ou daquilo outro. Isso é uma contribuição para a economia, para o desenvolvimento, para a maturidade do País”, afirmou Eduardo.

Após conferir os resultados, Jorge Gerdau afirmou que o trabalho realizado pelo Governo do Estado deve servir de exemplo para todo o Brasil: “Estamos extremamente satisfeitos e positivamente impressionados. O Governo de Pernambuco, com a sua equipe e a liderança do governador, está fazendo um trabalho diferenciado”, ressaltou o fundador do MBC.

“O Estado de Pernambuco tem sido para nós um exemplo de benchmarking (busca pelas melhores práticas). Não só pelos resultados apresentados, mas também pela aplicação consistente do método de monitoramento”, afirmou o diretor do MBC, Cláudio Gastal.

Ao final do encontro, Eduardo destacou valores importantes para a gestão pública como a responsabilidade fiscal e o cumprimento de contratos. No entanto, afirmou que o Estado moderno deve ir além: “Temos que entregar à sociedade políticas públicas em que a escola, a saúde e as unidades de segurança funcionem. Não basta conseguir recursos, tem que entregar resultados à sociedade É preciso valorizar e reconhecer esse modelo de gestão para o Estado. Vamos deixar para Pernambuco uma nova geração de servidores públicos.”

Fonte: Governo de Pernambuco

Postagem relacionada: "Estamos colocando PE no cenário global de petróleo e gás", clique aqui.


Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.BlogdoFabioRodrigues.com.br
Contato: FabioRodrigues@FabioRodrigues.com


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Clique no link "Postagem(ns) mais antiga(s)" (acima), para continuar lendo nosso blog. E a qualquer momento clique no link "Início" para voltar a página inicial.