9 de abr de 2009

Protógenes: quem cria prova para bandido é bandido

No dedate do Acerto de Contas na UFPE


Por Paulo Henrique Amorim, no Conversa Afiada

Um deputado quis saber a opinião do ínclito delegado Protógenes Queiroz sobre a investigação do delegado Amaro sobre um suposto vazamento na Operação Satiagraha; e sobre a investigação sobre o delegado Protógenes no curso da investigação sobre o grampo sem áudio do Supremo Presidente do Supremo.

Respondeu o ínclito delegado Protógenes Queiroz: quem cria prova para bandido é bandido.

Como se sabe, por decisão da Justiça, o delegado Protógenes Queiroz teve acesso à investigação sobre o grampo sem áudio fabricado pela revista Veja, da conversa do ministro Gilmar Dantas, segundo Ricardo Noblat, e o senador Demóstenes Torres. Ao examinar essa investigação, o delegado Protógenes Queiroz percebeu que a investigação, na verdade, era sobre ele e não sobre o grampo.

A investigação do delegado Amaro é um expediente do diretor-geral da PF, Luiz Fernando Corrêa para se vingar de Protógenes e Paulo Lacerda. A investigação sobre o vazamento vaza mais do que penico de asilo e se montou essa farsa para prender o repórter César Tralli, da TV Globo, beneficiário do vazamento do vazamento do vazamento.

A maior virtude no depoimento do ínclito delegado Protógenes Queiroz foi desmontar a farsa do deputado serrista Marcelo Lunus Itagiba. O que pretendia o serrista Itagiba ?

Destruir Protógenes.
Destruir a Satiagraha.
Livrar a cara de Dantas.
Com isso, proteger José Serra.

Com isso, provar que o grampo sem áudio tinha áudio, que a PF de Protógenes é um conjunto de gangsters e que a vigilância do Ministério Público sobre polícias é um exercício poético - teses do ministro do Supremo Gilmar Dantas, segundo Noblat.

O serrista Itagiba pretendia também chegar ao pescoço de Dilma Rousseff e numa única pajelança salvar Dantas e eleger Serra.

Para isso, contou com a inestimável colaboração do tartufo Raul Jungmann, que se esforçou para criar provas a favor de Dantas e construir argumentos para seus advogados de defesa.

O serrista Itagiba precisava transformar a sessão de hoje numa CPI do Fim do Mundo.

Foi o que Protógenes impediu.

O serrista Itagiba demonstrou que não tem competência, sequer, para fazer uma exposição com power point. O início da sessão, quando ele partiu para a jugular de Protógenes e Protógenes o comeu com farofa, foi uma sequência imperdível desta CPI de amigos de Dantas.

O serrista Itagiba não entregou a mercadoria.


Não deixe de comentar nossas postagens.

Gostou desse assunto, envie para seus contatos.

Obrigado pela visita e esperamos sempre sua volta.

Site: http://www.fabiorodrigues.com
Contato: fabiorodrigues@fabiorodrigues.com

Um comentário:

Clique no link "Postagem(ns) mais antiga(s)" (acima), para continuar lendo nosso blog. E a qualquer momento clique no link "Início" para voltar a página inicial.